Seis dicas para dormir melhor!

Dormir afeta diretamente o bem-estar físico e mental de qualquer pessoa. Uma boa noite de sono é tão importante para a manutenção da saúde quanto fazer atividades físicas e ter uma alimentação equilibrada. Mas, para algumas pessoas o merecido descanso parece ser um objetivo impossível de alcançar. A privação do sono pode causar falta de energia, queda de produtividade, problemas emocionais e atrapalhar o processo de regulação de hormônios que acontecem durante o repouso. Além disso, noites mal dormidas podem aumentar o risco de doenças como obesidade, diabetes, colesterol alto, hipertensão e, até mesmo, perda crônica da memória. Porém, ficar as oito horas recomendadas na cama não garante que o descanso terá um impacto positivo no seu dia. A qualidade do descanso depende de outros fatores, como hábitos e opções de estilo de vida.
Renata Federighi, consultora do sono, afirma que, para manter a saúde em dia e acordar com disposição, é necessário que o corpo descanse o suficiente e, principalmente, que o repouso da noite seja de qualidade. A especialista dá algumas dicas para manter o sono em dia e maximizar a qualidade das horas dormidas:

Sincronize o seu relógio interno: possuímos um relógio biológico interno que sofre influência de acordo com a variação da luz. Mais precisamente, pelo nascer e o pôr do sol. É por isso que dormimos à noite. Mas os “relógios” de algumas pessoas são mais atrasados do que outros. Para sincronizar esse “relógio” o ideal é sempre dormir e acordar no mesmo horário, mesmo nos finais de semana, estabeleça uma rotina para o seu sono e nada de cochilar mais do que 20 minutos durante o dia;

Atenção com os hábitos alimentares: evite o consumo de alimentos gordurosos e bebidas estimulantes, principalmente nas horas que antecedem a repouso. Durante o dia preste atenção ao consumo de cafeína. Ela é uma substância estimulante do sistema nervoso central. Em doses moderadas produz ótimo rendimento físico e intelectual, com aumento da capacidade de concentração e agilidade nos estímulos sensoriais. Por outro lado, doses elevadas podem causar ansiedade, nervosismo, tremores musculares, taquicardia, zumbido e aumento do estado de vigília, comprometendo o sono. Além disso, o café age no organismo até oito horas depois do consumo. Comer muito durante a noite também atrapalha a qualidade do sono. Tente fazer a hora do jantar mais cedo e evite uma alimentação pesada em até duas horas antes de dormir. Alimentos condimentados ou ácidos podem causar problemas estomacais e azia;

Faça exercícios diários, mas no horário certo: as pessoas que se exercitam regularmente dormem melhor à noite e se sentem menos sonolentas durante o dia. A atividade física ajuda a melhorar os sintomas de insônia e aumenta a quantidade de tempo nas fases profundas e restauradoras do sono. Para aproveitar todos os benefícios do exercício e dormir melhor, o ideal é programa-los. Tente terminar os treinamentos pelo menos três horas antes de dormir;

Prepare o seu quarto: deixar o ambiente silencioso e bem escuro é uma estratégia perfeita para que seu corpo consiga entrar em um sono profundo e restaurador. Portanto, luzes baixas e nada de eletrônicos nos minutos que antecedem a hora de dormir. O excesso de iluminação passa a mensagem de que cérebro precisa permanecer alerta, comprometendo a qualidade do descanso e o despertar no dia seguinte;

Controle sua exposição à luz: ela influencia diretamente na produção da melatonina, um hormônio que ajuda a regular o ciclo sono-vigília. A luz durante o dia vai ajudar o despertar, fazendo o corpo entender que é hora de acordar. Abra as cortinas e deixe a luz do sol invadir o quarto assim que você sair da cama. Durante a noite a luz deve ser evitada. O indicado é reduzir a intensidade da luz por um período de, no mínimo, 30 minutos antes de dormir.

Bons sonhos, baby!

Deixe uma resposta

avatar
  Se inscrever  
Notificar de