Quer ajudar a combater as mudanças climáticas, sugar baby?

Enchentes, incêndios, furacões, tempestades de neve. Desastres naturais relacionados às alterações no clima trazem perdas humanas e prejuízos significantes para a economia mundial. Não há como ignorar o que vem acontecendo no mundo, sugar baby! Se você se preocupa com o meio ambiente, saiba que o tema tem levado muita gente ao divã. Segundo um relatório recente da Associação Americana de Psicologia, uma em cada seis pessoas apresenta sintomas de transtorno de estresse pós-traumático e 49% desenvolvem ansiedade ou depressão relacionados às mudanças climáticas. O fenômeno ganhou até um nome: “ansiedade climática”, ou “eco-ansiedade”, que acomete principalmente as gerações mais jovens –  as que mais sofrerão com os efeitos das mudanças climáticas.

Psicólogos que estão estudando o assunto sugerem que uma das formas de combater a eco-ansiedade é realizando ações diretas, para aliviar o sentimento de impotência.  Por isso, fizemos uma lista com cinco dicas para combater o aquecimento global sem ter que gastar nada (ou quase nada):

1. Calcule suas emissões: o primeiro passo é fazer um inventário pessoal, calculando suas emissões de carbono e as da sua família. Fazendo esse levantamento, podemos identificar maus hábitos de consumo e pontos que podem ser melhorados para reduzir nossa “pegada ecológica”. Felizmente, já existem ferramentas que fazem esse cálculo por você. A Iniciativa Verde (www.iniciativaverde.org.br) dispõe de uma calculadora de CO2 bem simples. Depois de calcular a sua pegada, você pode contribuir para os projetos da entidade, que promove o reflorestamento da Mata Atlântica.

2. Compense suas emissões: uma ótima forma de lutar contra o aquecimento global é compensando suas emissões de CO2, ou as de sua empresa. A plataforma Tree Nation (https://tree-nation.com)  facilita empresas e cidadãos a apoiar projetos de reflorestamento no mundo, sendo que o preço por árvore é a partir de 0,50 Euros (cerca de R$ 2,30). Você pode escolher o local e a espécie de árvore que deseja plantar e depois, acompanhar o crescimento  e impacto positivo da sua árvore. A organização plantou cinco milhões de árvores em quatro continentes com a ajuda de mais de 130.000 indivíduos e 2.200 empresas.

3. Faça uma busca online: O Ecosia (www.ecosia.org)  é um mecanismo de busca que planta árvores e está virando sensação em todo o mundo. Fundado pelo alemão Christian Kroll, já viabilizou o plantio de 82 milhões de árvores desde a sua criação em 2009. Disponível como site ou aplicativo, a cada 48 buscas realizadas no Microsoft Bing, o Ecosia planta uma árvore para você. Os projetos apoiados são escolhidos a dedo, garantindo que o reflorestamento possa gerar emprego e renda para as comunidades locais.

4. Conecte-se a um catador: lixões e aterros sanitários são vilões na luta contra o aquecimento global, pois emitem grandes quantidades de metano. O impacto desse gás sobre as mudanças climáticas é 20 vezes maior do que o do gás carbônico (CO2). Uma forma de reduzir a emissão desses gases é diminuindo o descarte incorreto de resíduos. O Cataki (https://cataki.org/pt/)  é um aplicativo disponível para celulares Android e iPhone que conecta as pessoas aos catadores de materiais pela cidade e, apesar de ser gratuito, o serviço do catador deve ser remunerado mediante acordo entre as partes. O app está presente em todo Brasil e mapeia as áreas de atuação e oferece aproximação entre os catadores e o produtor de resíduos. Pela ferramenta, é possível consultar biografia, foto, telefone de contato e o tipo de material que o profissional recolhe – desde alumínio, metal, baterias e produtos eletrônicos a móveis e entulhos.

5. Torne-se uma co-agricultora: a agroecologia é apontada como um dos caminhos para diminuir as emissões de CO2 na produção de alimentos. Consumindo frutas, folhas e legumes orgânicos, você incentiva um modo de cultivo mais sustentável e também ajuda a gerar renda e emprego no campo. A entidade sem fins lucrativos Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA) (www.csabrasil.org/csa/) permite que você se torne uma co-agricultora. Funciona assim: um grupo fixo de consumidores se compromete a cobrir o orçamento anual da produção agrícola e recebe os alimentos produzidos, sem custos adicionais. Desta maneira, o produtor se livra da pressão do mercado e pode se dedicar com tranquilidade à produção. E os consumidores recebem produtos de qualidade, sabendo onde e por quem foram produzidos.

0 0
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários