coracao partido encontro errado fail ruim

8 histórias de mulheres que encontraram o Dr. Homem Errado

A parte engraçada (e frustrante) sobre relacionamentos é que é extremamente fácil se apaixonar ou pelo menos ficar afim de alguém, principalmente daqueles que não fazem sentido algum ter em nossas vidas. Então, qual é o ponto de todos esses encontros errados? Talvez, aprender com o erro de outras mulheres seja a solução para uma pequena parte do problema.

“APRENDI A NÃO ME DEIXAR POR ÚLTIMO”
“O único namorado de verdade que eu tive antes de encontrar meu novo Sugar Daddy me ensinou a maior lição da minha vida, que é a de não colocar um homem (ou qualquer outra pessoa que importe para você) antes de você mesma. O controle emocional dele sobre minhas emoções e psicológico me transformou em uma mulher da qual eu não me orgulhava de ser – alguém que eu nunca quis ser. Antes de cada coisa que eu fazia, eu pensava nele. O que ele pensaria? Ele estaria louco? Quando nós finalmente terminamos e passado o tempo que eu não me sentia mais miserável e com o coração partido, eu percebi que, estar em uma relação saudável não significa a outra pessoa te fazer sentir como se tivesse que se colocar por último.” Joana, 27.

“APRENDI O QUÃO RICA A VIDA PODE SER”
“Quando eu tinha 24 anos, eu comecei a sair com um cara que eu sabia que não seria para sempre desde o início. Ele era 10 anos mais velho e nunca quis ter filhos, coisa que eu queria. Mas ele vivia a vida dele de um jeito… belo. Não de maneira cara e gastando fortunas, mas com verdadeiro estilo, em um apartamento cheio de bons livros, obras de arte, mobília vintage, onde ele oferecia ótimos jantares para seus amigos. Fazer parte daquele mundo foi muito bom para mim. Ele me mostrou o que era ter gosto pessoal e o quão doce as coisas simples da vida são.” Kátia, 31.

“APRENDI A VIVER O MOMENTO”
“Eu tinha acabado de sair de um longo relacionamento quando eu encontrei um cara que dali em diante ia ser meu Latino do amor. Ele tinha uma história de vida completamente diferente da minha (nasceu no Chile, cresceu na Suécia e estudou nos Estados Unidos, enquanto eu nasci e cresci na mesma cidade), e ele era ambicioso e aventureiro, sem mencionar que era lindo! Nós nos divertimos muito juntos, mas eu sabia em meu coração que ele não era ‘o certo’. E a partir desse romance eu aprendi que é totalmente ok você aproveitar muito o presente, sem pensar sobre no que vai resultar, contanto que você esteja feliz e não esteja machucando ninguém.” Alice, 27.

“APRENDI QUE ATRAÇÃO NÃO É TUDO”
“Eu era muito amiga de uma pessoa e nós tínhamos muita química, mas não podíamos ficar juntos pois ele estava em um relacionamento de anos. Depois que ele terminou, nós começamos a sair, algumas semanas antes da minha formatura da faculdade e da minha mudança para Nova York. Nos tentamos fazer dar certo mesmo estando distantes, mas nós dois concordamos que isso era muito difícil. Eu não me arrependo, porque eu precisava saber o que mais existia entre nós além da atração. Olhando para trás, se eu tivesse ficado na cidade eu sei que não teria funcionado, porque nós fomos e ainda somos muito diferentes em termos de metas de vida.” Karla, 31.

“APRENDI A MANTER O FOCO”
“Pode ser divertido conhecer alguém novo, e essa nova pessoa pode te ajudar a ser uma pessoa melhor. Alguns encontros podem não te machucar, e talvez ajude você a determinar o que você realmente quer, mas alguns meses ou, especialmente, alguns anos saindo com várias pessoas podem fazer você estagnar e acabar te distanciando daquilo que você quer para a vida.” Vanessa, 35.

“APRENDI QUE VOCÊ NÃO PODE MUDAR AS PESSOAS”
“Eu namorei por dois anos uma pessoa que era muito linda, bem sucedida, charmosa, viajada e muito educada. Claro, ele era emocionalmente instável, difícil de confiar, e acima de tudo, não era a pessoa de bom coração que eu sabia que merecia. Eu pensei que se eu tivesse sido perfeita, se eu tivesse amado ele o o suficiente e se eu fosse a mulher dos sonhos dele, ele mudaria. Mas ele não mudou, e como resultado, eu perdi minha própria confiança e me senti menos digna. As pessoas podem mudar ao longo do tempo, mas isso não quer dizer que é apenas uma pessoa que vai causar a mudança de outra. Levei um tempo para aceitar que não era eu quem não era o suficiente. Era coisa dele.” Luana, 28.

“APRENDI COMO ME FAZER FELIZ”
“Se tem uma coisa que eu aprendi na vida é que quando você está com alguém que você ama, isso deve apenas aumentar a sua felicidade, e não criá-lá. É preciso aprender a ser feliz sozinha antes de ser uma boa parceira para alguém. Eu precisei de tempo para entender a mim mesma: quem eu era, o que eu estava esperando de um parceiro e o que eu podia oferecer em retorno. Eu era muito jovem no meu ultimo relacionamento sério para entender esse tipo de coisa. Eu fico feliz em saber que agora eu sei quem eu sou agora e tenho esperança de que isso vai me encaminhar para a pessoa certa.” Tatiana, 27.

“APRENDI QUE A VIDA CONTINUA”
“Eu vinha de um término que me esgotou, quando conheci um cara no metrô de São Paulo. Ele era extremamente lindo, alto e adorava viajar. Eu nunca imaginei que entraríamos em um relacionamento que fosse para sempre, até porque ele estava na cidade de passagem e iria para fora do país em breve. Mas ele foi a primeira pessoa que eu me senti atraída e que me fez sentir sexi, desde o meu ex. Ele foi quem me fez sentir que eu estava bem comigo mesma. Apesar de não termos durado para sempre como namorados, nos tornamos bons amigos.” Mariana, 25.

Deixe uma resposta

avatar
  Se inscrever  
Notificar de