Chocolate, quem resiste?

Há mais de mil anos, o chocolate já era ingerido por sacerdotes de civilizações da América do Sul em cerimônias religiosas e chegou até a ser utilizado como moeda de troca. Atualmente, são bem conhecidos os seus efeitos sobre o humor e a felicidade. A vida parece sorrir quando comemos chocolate! Constituído por mais de 300 substâncias químicas, ele induz a liberação de vários neurotransmissores: as endorfinas (reduzem o stress, diminuem a dor e produzem satisfação), a serotonina (com efeitos antidepressivos) e a feniletilamina (conhecida como a “anfetamina do chocolate” ou o “hormônio da paixão”, que leva a alterações no nível da pressão arterial e glicose, induzindo sensação de excitação e aumento do nível de alerta).
Com tantos benefícios, como recusar uma caixa de bombons? O ideal é optar pelos meio amargos ou extra amargos, com altas concentrações de cacau puro e propriedades antioxidantes. A sensação de euforia e bem-estar é maior e, por isso, altamente estimulante. Os poderes afrodisíacos são reconhecidos desde as culturas mais antigas e estudos científicos comprovaram que o chocolate aumenta o desejo sexual, a libido, principalmente entre as mulheres.
Energético e fonte de prazer, o chocolate pode também ser encontrado como ingrediente em acessórios eróticos e existem muitas dicas para apimentar a relação com o seu uso – uma opção para quem não quer devorar aquela barra deliciosa! Aproximando casais, o chocolate sempre pareceu ter o gosto do amor e, por seus componentes altamente benéficos ao corpo e à mente, continuará a fazer a felicidade de muita gente, bem dosado e sem exageros!

Deixe uma resposta

avatar
  Se inscrever  
Notificar de