Aprenda a combater o estresse em 5 passos práticos

Que o estresse é o mal do século, todos sabemos, mas você consegue combatê-lo, sugar baby? Segundo a psicóloga da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo Rita Calegari, é possível diminuir esse problema com hábitos práticos. “Apesar de ser uma resposta natural do corpo diante de uma situação de perigo ou de tensão, a manutenção desse estado por longos períodos pode causar danos sérios à saúde, à produtividade e, consequentemente, à qualidade de vida das pessoas”, alerta a especialista. Vamos lá, papel e caneta na mão!

Presenteie-se de vez em quando. Diante de uma rotina exaustiva, uma dica para aliviar o estresse é fazer algo que desperte sensações de prazer e relaxamento. Você pode começar com coisas simples como uma massagem de 15 minutos, almoçar em um restaurante renomado ou pegar um cineminha no meio da semana. Esses pequenos hábitos podem contribuir com a saúde mental.

Está com raiva? Se afaste. “Sentir raiva é normal, mas a frequência dessa emoção pode ser um sintoma negativo. Podemos evitar que ela atinja picos e que nos coloquem em níveis elevados de estresse, mudando o cenário quando isso acontecer. Saia de perto da situação ou da pessoa que despertou esse sentimento em você, tente respirar profundamente algumas vezes e refletir com empatia sobre o que causou esse sentimento. Se possível, retorne só quando se sentir mais calmo”.

Valorize ambientes saudáveis. “A crise econômica e a falta de emprego não devem tirar a expectativa das pessoas de procurar um ambiente profissional melhor para elas. Especialmente, porque as empresas já estão atentas à necessidade de desenvolver boas políticas internas de RH para reter os seus talentos”. 

Peça ajuda. “Somos seres coletivos, não precisamos fazer tudo sozinhos. O hábito de pedir ajuda reduz a pressão e traz sensações de conforto, o que aumenta o bem-estar. Para quase todas as situações de crise intensas (doenças, mortes, separações, acidentes entre outras) a rede de apoio de uma pessoa é fator decisivo na sua superação. O mesmo ocorre para as situações de estresse diária. Ao nos isolarmos, além de perder a perspectiva do nosso sofrimento (possivelmente intensificando-o) impedimos que o fluxo de amor, de atenção, de solidariedade das pessoas nos atinja, contagiando-nos positivamente”. 

Repense seu tempo. Avalie suas atividades e responsabilidades diárias e pense: tudo precisa ser resolvido agora? A especialista lembra que é saudável estabelecer prioridades na realização das tarefas, sejam elas pessoais ou profissionais. A recomendação é avaliar o que é necessário e o que é desejável. Negocie prazos possíveis, que você consiga atender com qualidade ou deixe claro o impacto da pressa na sua entrega.

Renata Rode

0 0
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários